Dois acidentes trágicos marcam fim de semana em Araras

Crédito: Divulgação/Guarda Municipal

Caminhão que se chocou contra motocicleta. Motorista teve embriaguez atestada por médico no exame de corpo de delito.

Este último fim de semana em Araras foi marcado por dois trágicos acidentes de trânsito, que resultaram na morte de três pessoas. Em um dos casos, ocorrido no final da tarde de sábado, dia 14, casal em uma moto morreu após ser atingido por caminhão. A mulher, inclusive, estava grávida. O acidente aconteceu por volta das 18 horas no Jardim Bela Vista. Conforme consta no boletim de ocorrência do caso, um caminhoneiro de 60 anos, que mora no mesmo bairro, seguia pela rua José Antônio Cressoni, segundo testemunhas, em alta velocidade com um caminhão Scania, que tracionava um semirreboque. Ao chegar na altura do número 838, este motorista, com o objetivo de adentrar à direita, foi com a direção para a esquerda e interceptou a trajetória do casal.

O entregador Dirceu Julian Rosa, de 35 anos, e sua esposa, a ajudante Cristiane Silva Rosa, de 36 anos, estavam em uma moto Yamaha de cor preta, ano 2006, que colidiu frontalmente com o caminhão e ainda foi prensada contra um veículo Palio de cor cinza, que estava estacionado na mesma rua. Com o impacto, Cristiane foi arremessada por cima do Palio e veio a cair do outro lado, no chão. Já Dirceu, que conduzia a moto, foi parar debaixo do caminhão e acabou atropelado.

Ainda consta no registro do caso que o motorista deu marcha à ré no caminhão, passou por cima da moto, encostou o veículo do outro lado da rua e desceu para ver a situação das vítimas. O fato é que o caminhoneiro fugiu logo em seguida e não permaneceu no local para auxiliar no socorro. Cristiane e seu marido Dirceu chegaram a ser levados pelo resgate do Corpo de Bombeiros até o Pronto-socorro do Hospital São Luiz, mas não resistiram e vieram a óbito. O caminhoneiro só foi encontrado horas depois pela ronda rural da Guarda Municipal. Os GMs realizavam o patrulhamento pela região do Núcleo Caio Prado, no bairro Maniçoba, quando avistaram um caminhão parado próximo de um trevo, ao lado de um canavial. Foi feita a abordagem e neste momento os guardas descobriram que o motorista que estava no interior deste veículo era o mesmo que havia provocado o acidente anteriormente.

Foi descoberto ainda que o caminhoneiro, durante sua fuga, ainda provocou outro acidente ao colidir seu caminhão contra um veículo Gol de cor amarela. O condutor deste carro, no entanto, não sofreu ferimentos. O caminhoneiro, segundo os GMs, apresentava fortes sinais de embriaguez e foi levado até o Hospital São Luiz. Ele não concordou em ceder amostra de sangue para exame de dosagem alcoólica e nem se submeteu a teste de bafômetro, mas um médico, no exame de corpo de delito, atestou a embriaguez deste condutor.

O motorista foi preso em flagrante por homicídio doloso e mantido em uma cela de triagem na Delegacia Participativa. Na manhã de ontem, a Polícia Civil foi informada, ainda, que a Justiça de Araras decretou também a prisão preventiva do indiciado. A reportagem teve acesso ao termo de depoimento do caminhoneiro. Ele disse para a Polícia Civil no seu interrogatório que é inocente, não ingere bebidas alcoólicas e que é habilitado há 38 anos e nunca se envolveu em nenhuma ocorrência. Afirmou que saiu do local do acidente devido à reação das pessoas que presenciaram a colisão e que foram para cima do caminhão para pegá-lo.

O caminhoneiro explicou que não conduzia em alta velocidade por aquela rua. Em relação ao Gol que ele também colidiu, o motorista declarou apenas que foi o veículo que entrou na rua frente. Este caminhoneiro trabalhava para a empresa Transportadora Contatto, proprietária do caminhão. Ele informou que saiu de casa às 8 horas daquele sábado e da garagem da empresa, em Limeira/SP, às 12h40. No momento do acidente, sustentou que estava indo para casa e que no dia seguinte, domingo, iria fazer um carregamento em Volta Redonda/RJ, a cerca 489 km de Araras. O indiciado ainda esclareceu que se escondeu para não ser visto pela Guarda Municipal e que tinha a intenção de se entregar.

Dirceu e Cristiane moravam na rua Maria Aparecida Zaniboni, 25, no Jardim Dalla Costa, e foram sepultados no domingo, dia 15, no Cemitério Municipal de Araras. A residência do casal fica no bairro próximo ao local do acidente, a menos de 1 km de onde ocorreu a colisão. Segundo seus familiares, o casal, naquele momento, estava indo com a moto até um supermercado no bairro vizinho. Dirceu e Cristiane estavam casados há 16 anos e deixaram três filhos: Nathália, de 13 anos, Natanael Felipe, de 14 anos, e Nycolas Fernando, de apenas quatro anos. Cristiane, inclusive, estava grávida de três mês, já entrando no quarto meses de gestação. A gravidez já tinha sido constatada por laudo médico e nesta semana ela iria fazer o exame de ultrassonografia.

Motociclista morre ao colidir com poste

O segundo acidente fatal aconteceu na madrugada de domingo, 15. A vítima é o jovem Alex Viana Pires, de apenas 21 anos, que trabalhava como açougueiro. Ele seguia por volta das 3h25 pela rua Florianópolis, no Jardim do Filtro, com uma moto Honda Twister, ano 2008, de cor preta, quando perdeu o controle e veio a se chocar contra um poste de iluminação. A vítima morreu na hora. No local esteve a Polícia Militar, além da perícia. Momentos depois do acidente, passou pelo local um rapaz que, ao perceber a movimentação de pessoas, parou para ver o que tinha acontecido e viu Alex, que era seu amigo, no chão. Esta testemunha disse aos policiais que estava juntamente com a vítima em uma festa horas antes e que Alex tinha saído para ir embora primeiro. O jovem morava na rua Bruno Morani, 379, no Jardim Ouro Verde. Ele foi sepultado no mesmo domingo, no Cemitério Municipal de Leme.

Article by Luiz Closs

Authors bio is coming up shortly.

Um Comentário

  1. Rafael Henrique Monteiro disse:

    INFELIZMENTE ESTE “SER” SERA LIBERTO COM O PAGAMENTO DE UMA FIANÇA.
    JA A NOSSA DOR DE TER PERDIDO ALGUEM QUE AMAMOS NAO PODERÁ SER LIBERTA POR NENHUMA QUANTIA DE DINHEIRO. UMA DOR ETERNA. QUE IRA NOS FAZER CHORAR POR MUITO TEMPO.
    SÓ GOSTARIA DE PEDIR AS AUTORIDADES DESTE PAIS PARA REVEREM O TERMOS DE JUSTIÇA.
    ESTE “SER” A QUEM ME REFIRO É UM MONSTRO. ACABOU COM A VIDA DE DUAS FAMILIAS. E COM A VIDA DE TRES CRIANÇAS QUE NAO MAIS TERAO SEUS PAIS PRESENTES.
    “TONI” COMO CRISTIANE ERA CHAMADA PELOS PARENTES E “JU” COMO ERA CHAMADO DIRCEU. SEMPRE FORAM UNIDOS E EM MOMENTO ALGUM DEMOSTRAVAM TRISTEZA. VIVIAM SEMPRE SORRINDO E BRINCANDO CONOSCO. SENTIREI SAUDADES DESTES DOIS ANJOS QUE RETORNARAM AO CÉU E ESTAO CUIDANDO DE NÓS AQUI NA TERRA.

Serviço

Untitled Document

Notícias